Artigos e Entrevistas

Black Friday: atitudes responsáveis do consumidor digital podem evitar golpes

Usuários precisam seguir medidas de segurança e ter cuidados nas escolhas para evitar fraudes online

Conhecida por ser a data que inaugura a temporada de compras para o Natal, a Black Friday deste ano deve ter alta de até 19% no comércio eletrônico, conforme projeções da idealizadora do evento no país, a BlackFriday.com.br. Seja pela facilidade ou pelos preços competitivos, as compras online são bastante utilizadas nesta época do ano, e a alta na procura faz também com que cresçam as tentativas de golpe no ambiente digital.

Acompanhe AQUI a entrevista da Dra. Patricia Peck Pinheiro, sócia-fundadora do escritório para o Jornal da Band sobre dicas de segurança para evitar fraudes.

Segundo a advogada, ainda acontece muito no Brasil o golpe da loja fantasma, no qual as quadrilhas de criminosos se aproveitam para oferecer algo imperdível, mas na verdade trata-se de uma armadilha para pegar dados do cliente. Atualmente é muito comum receber promoções fraudulentas por meio das mídias sociais e aplicativos de comunicação, tanto que os golpes aplicados por meio de smartphones representam 15% das fraudes realizadas pela internet.

É essencial pesquisar na internet os detalhes do produto procurado e a reputação da loja ou do vendedor. Ou seja, é verificar os comentários nos sites de reclamação, ver a lista do Evite esses sites, do Procon-SP, conferir se os canais listados nos contatos da loja existem, e se há a indicação do CNPJ e do endereço físico no site da empresa. Muito pode ser evitado se o consumidor fizer o dever de casa e não comprar apenas por impulso.

Além de utilizar conexão segura e estar com o antivírus em dia no equipamento, o usuário também deve se certificar que o site escolhido para a compra possui componentes de segurança. Ao abrir o navegador, basta checar se o cadeado no canto superior esquerdo está ativo (se está verde) e se o protocolo utilizado é o HTTPS.

Outro alerta importante para compras digitais ou via atendimento telefônico é em relação ao direito de arrependimento. De acordo com o art. 49 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), o cliente que adquirir produto ou serviço fora do estabelecimento comercial, tem o direito de desistir da compra no prazo de sete dias corridos, a contar da data do recebimento do produto ou anuência do contrato. Caso o consumidor desista da compra dentro desse prazo, os valores eventualmente pagos deverão ser devolvidos. 

Dicas com as compras online:

1) Verificar se a loja possui ferramentas para garantir a proteção da operação e evitar uma fraude com dados de cartão de crédito ou financeiros;

2) Ter cuidado com lojas fantasmas e ofertas mirabolantes. Se o preço estiver muito abaixo do praticado, desconfie. É melhor perder uma oferta do que perder dinheiro;

3) Desconfie do envio de cupons de desconto e premiações por WhatsApp e nas mídias sociais;

4) Tenha instalados antivírus e firewall confiáveis, atualizados e capazes de identificar scripts disparados por e-mail ou sites maliciosos ou falsos, em todos seus dispositivos, inclusive nos tablets e smartphones, muito esquecidos apesar de extremamente necessários;

5) Evitar sites suspeitos ou que contenham produtos piratas. Navegar por eles por si só já pode oferecer riscos;

6) Pesquisar informações sobre o produto e a credibilidade da loja, verificando itens como a razão social, CNPJ, endereço e formas de contato;

7) Fazer guarda das evidências que mostram o que estava anunciado e de sua navegação na loja, como por exemplo o registro da imagem das telas (prints);

8) Ler sempre os termos e políticas do site, principalmente no que diz respeito ao cancelamento e à troca, antes de efetuar a compra;

9) Sempre acompanhar o extrato do cartão;

10) Habilitar o envio de mensagens referentes a transações no cartão.